fbpx

Soja: Vender para indústria já é melhor que exportar

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a terça-feira (03.12) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas para exportação caindo 1,59%, para a média de R$88,15/saca (contra R$89,57/saca do dia útil anterior).

“A queda de 0,19% do dólar no Brasil, somada à queda de 0,13% em Chicago e à continuada ausência da China voltaram a pressionar os preços no mercado físico brasileiro nesta terça-feira. Assim, os preços oferecidos pelos compradores sobre rodas nos portos do sul do Brasil ou seus equivalentes em outros estados, registraram nova queda, desta vez bem acentuada”, explicam os analistas da T&F Consultoria Agroeconômica.



No interior o preço médio também teve queda de 0,92%, para R$83,66/saca (contra R$84,44 dia anterior), segundo pesquisa do Cepea. No mercado físico, os preços da soja no Rio Grande do Sul as indústrias estão começando a ficar com preços mais firmes do que a exportação e pagaram R$ 86,00 em Ijuí e em Passo Fundo, contra R$ 90,00/saca no porto.

No Paraná o mercado continuou pagando R$ 80,00/saca no balcão para o agricultor, R$ 82,00 no mercado disponível de lotes em Ponta Grossa, mas recuou dois reais/saca no porto para R$ 88,00 porto para meados de dezembro. O mercado futuro também recuou dois reais/saca para R$ 83,00 em Ponta Grossa para abril/maio.

“Embora a margem de esmagamento da indústria chinesa de soja continue alta, cerca de US$ 25/t, a China continuou quieta ontem. Nenhum negócio FOB reportado. No mercado de Paper de Paranaguá houve negócios para Abril/Maio a +48K. O movimento dos prêmios FOB no Brasil foi de alta de 3cents/bushel para fevereiro, em relação há uma semana, 6 cents para abril, 11 cents para cents para maio e 10 cents para julho. Já os prêmios de março e junho se mantiveram inalterados”, conclui a T&F.


SEGURO AGRÍCOLA
Com a necessidade do produtor rural ter um seguro de lavoura sem burocracia, de fácil contratação e que protegesse seus altos investimentos contra intempéries climáticas, a SEGURAGRO inovou os serviços de atendimento e assessoria na contratação de seguro agrícola de lavouras para culturas de soja, milho, trigo, feijão, café, cana-de-açúcar e outras culturas.

SAIBA MAIS SOBRE SEGUROS AGRÍCOLAS

Fonte: Agrolink